Complexo Industrial de Resende monta primeira carroceria do crossover Nissan Kicks

  • Montagem faz parte do processo de treinamento de funcionários para preparação da fabricação em série do modelo em 2017 no Brasil
  • São utilizados 57 robôs na soldagem da carroceria do novo crossover
  • Empresa está investindo R$ 750 milhões para produzir o crossover no país

                                                                    
Rio de Janeiro – Sempre com foco na qualidade, a Nissan iniciou a preparação de seu Complexo Industrial de Resende (RJ) para fabricar o crossover global Kicks, em 2017. A primeira ação foi a soldagem de uma carroceria do Nissan Kicks, com peças importadas do México. No processo, foram soldados todos os subconjuntos que compõem o crossover. A passagem do carro pela linha de montagem teve como objetivo testar o funcionamento da nova área da produção, criada exclusivamente para receber o modelo e, assim, identificar eventuais pontos de melhorias e definir os ajustes necessários para a futura produção, prevista para se iniciar até o final do ano-fiscal 2016.

Um dos principais diferenciais do Nissan Kicks são as partes traseiras e dianteiras, compostas por grandes peças: "Devido ao seu tamanho, a tampa do porta-malas é a única peça a ser produzida na fábrica de Resende que precisará de dois operadores para ser colocada no carro. Precisa ter o máximo de cuidado na soldagem para que as peças fiquem totalmente ajustadas quando forem para o acabamento", conta Márcio Falcão, coordenador de produção na unidade de Resende. "É um processo novo para nós, e é por isso que precisamos iniciar o treinamento com muita antecipação. "

Toda a área de montagem das laterais da carroceria do Nissan Kicks envolve novos processos para Resende, assim como setores responsáveis pelo compartimento do motor, da porta e de novos equipamentos do carro. Já são 15 novos operadores e, para a soldagem do Kicks, são utilizados 57 robôs na linha. O setor dedicado exclusivamente à produção das laterais do Kicks possui 40 novas pinças e quatro estações de trabalho para cada lado do carro. A montagem terá uma área de qualidade específica para verificação do acabamento de suas peças. Ao todo, para a produção do Nissan Kicks a fábrica de Resende receberá mais de 150 novos equipamentos.

A adoção de novos equipamentos e processos no Complexo Industrial de Resende faz parte do investimento de R$ 750 milhões que a Nissan está fazendo para produzir o Nissan Kicks no Brasil.

Nissan Kicks

O Nissan Kicks chegou às concessionárias da marca de todo Brasil no dia 5 de agosto – data da abertura dos Jogos Olímpicos, evento no qual a Nissan foi patrocinadora oficial. Moderno e inovador, utiliza avançadas soluções de construção, como aço de alta resistência e maior rigidez da carroceria, para equilibrar com inteligência a performance e o consumo de combustível sem deixar de lado o conforto, posicionando-se como um dos melhores do segmento. O Brasil foi o primeiro país a comercializar o novo modelo, que, em sequência, começa a ser introduzido em vários países da América Latina e, futuramente, em mais de 80 países pelo mundo.

Comercializado no mercado nacional na versão SL, o modelo vem equipado com avançados equipamentos como a câmera 360º e o Detector de Objetos em Movimento (Moving Object Detection), sistemas que utilizam quatro câmeras integradas para exibir uma visão total do carro e ajudar a alertar sobre perigos que não tenham sido notados. Na parte dinâmica, o Nissan Kicks é recheado com sistemas que elevam o nível de segurança e o conforto. Entre eles, o Controle Dinâmico de Chassi (Chassi Control), que é composto pelos Controle Dinâmico em Curvas (Active Trace Control), Estabilizador Ativo de Carroceria (Active Ride Control) e Controle Dinâmico de Freio Motor (Active Engine Brake), que atuam na suspensão, freios e também na estabilidade. Eles permitem que o motorista conduza o Nissan Kicks com tranquilidade e a certeza de que está em um veículo moderno, seguro e com tecnologia de ponta. Esta é a primeira vez que um veículo é oferecido nesse segmento do mercado brasileiro com dispositivos avançados como esses.

Complexo Industrial de Resende

Inaugurado em abril de 2014, a unidade industrial permite que a Nissan produza com muita qualidade seus veículos no Brasil. O foco na qualidade fez a Nissan tomar a decisão de ter um Complexo Industrial completo no país, garantindo assim seus elevados padrões mundiais de produção, com áreas de estamparia e de injeção de plásticos dentro de sua unidade, algo incomum nas fábricas instaladas no Brasil em função da complexidade e dos elevados valores de investimentos que exigem. Com estas áreas integradas ao processo, ganha-se, além de qualidade, em tempo de produção, redução de estoques e flexibilidade para o mix de fabricação.

Essa unidade industrial recebeu um dos maiores investimentos realizados no país para a construção de uma fábrica de automóveis, de R$ 2,6 bilhões, exatamente para ter esse ciclo de produção completo. No total, a capacidade é para produzir até 200 mil veículos e 200 mil motores por ano.

O conceito de fábrica sustentável do Complexo Industrial da Nissan em Resende vai além do uso de equipamentos de última geração e processos avançados de produção de veículos e motores. O compromisso em ser uma unidade verde, uma das mais sustentáveis da Nissan em todo o mundo, nasceu já na concepção do projeto dos prédios e de toda a infraestrutura.

Os prédios apresentam sistemas de iluminação e ventilação naturais, que reduzem o consumo de energia e, consequentemente, têm baixo impacto ambiental. Há uma atenção especial com o sistema de tratamento de resíduos utilizados no processo produtivo, para reutilização da água e segregação de resíduos sólidos para correta destinação de descarte. O objetivo é reduzir constantemente as emissões de CO² e a geração de compostos orgânicos voláteis (VOCs) provocados pela produção. A empresa também cuida do ecossistema da região da fábrica.